Governo do Rio de Janeiro
 

Detran-RJ

 
 
 
 
 


PORTARIAS DO DETRAN-RJ / 1999
DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO
ATO DO PRESIDENTE
PORTARIA PRES-DETRAN-RJ Nº 1.756
DE 07 DE JULHO DE 1999
Altera e Consolida as Portarias n.°s 1.737/99 e 1.746/99, que estabelecem Normas para o Credenciamento de Clínicas de Medicina de Tráfego e Psicologia do Trânsito; revoga a Portaria n.° 1.738/99 e dá outras providências.
O PRESIDENTE DO DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - DETRAN/RJ, no uso de suas atribuições legais, tendo em vista o Código de Trânsito Brasileiro e o disposto na Resolução n.° 80, de 19/11/1999, do CONTRAN,
RESOLVE:
Art. 1º - Alterar e consolidar as Portarias n.°s 1.737/99, de 05 de abril de 1999, e 1.746/99, de 13 de maio de 1999, na forma das Normas para o Credenciamento de Clínicas de Medicina de Tráfego e Psicologia do Trânsito que acompanham a presente Portaria, inclusive dos seus Anexos I, II, III e IV.

Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor na data de publicação, revogadas as disposições em contrário, especialmente a Portaria n.° 1.738/99, de 05 de maio de 1999.

CAPÍTULO I

DO CREDENCIAMENTO DAS CLÍNICAS DE MEDICINA DE TRÁFEGO E PSICOLOGIA DO TRÂNSITO

SEÇÃO I – DA OUTORGA

Art. 1º - Credenciamento é o ato unilateral, discricionário e precário, pelo qual o DETRAN/RJ faculta, nas condições estabelecidas pela Administração, o Credenciamento de Clínicas de Medicina de Tráfego e Psicologia do Trânsito, especificamente.

Art. 2º - O Credenciamento será dado mediante processo seletivo, da análise da documentação exigida e qualificação profissional.

Art. 3º - O ato de credenciar Clínicas, expedido pelo Presidente DETRAN/RJ, constará de termo próprio onde, entre outros elementos, deverá conter a denominação da Clínica credenciada, nome e qualificação de seus sócios responsáveis e indicação do representante legal.

Art. 4º - O Credenciamento será outorgado sem prazo determinado e será mantido enquanto os serviços forem considerados necessários e sua execução conveniente ou oportuna.

Parágrafo Único - Poderá o DETRAN/RJ, inicialmente, credenciar Clínicas, em regime temporário ou precário, dada a urgência e necessidade do cumprimento das recomendações do DENATRAN.

Art. 5º - O Credenciamento poderá, a qualquer tempo, ser revogado, se for considerada desnecessário, ou cassado, se os serviços executados pela Clínica credenciada forem consideradas insuficientes ao interesse coletivo.

SEÇÃO II – DA CESSAÇÃO

Art. 6º - O Credenciamento cessa:

I – temporariamente pela suspensão;

II – definitivamente:

a) pela revogação; b) pela cassação.

Art. 7º - É suspenso o Credenciamento:

a) como penalidade, quando a Clínica credenciada apresentar deficiências em seus serviços ou em suas condições materiais ou técnicas, desde que não se justifique a cassação; b) no caso da alínea anterior, será aplicada suspensão por período fixado pelo DETRAN/RJ, após devidamente apuradas as irregularidades em Sindicância levada a efeito por Comissão designada pelo Presidente do DETRAN/RJ.

Art. 8º - O Credenciamento será revogado:

a) a pedido da Clínica credenciada, com 60 (sessenta) dias de antecedência; b) por iniciativa da Administração, quando cessados os motivos de interesse público que a tenham determinado.

Art. 9º - O Credenciamento será cassado:

a) a juízo do DETRAN/RJ, se a Clínica credenciada reincidir na mesma deficiência pela qual já foi suspensa; b) se ficar manifestada insuficiência material, técnica ou moral da Clínica credenciada para o desempenho de suas atividades; c) nos outros casos previstos nesta Portaria e outras normas reguladoras do Credenciamento que vierem a ser baixadas.

Art. 10 - Para aplicação das medidas previstas nos artigos 7º e 9º, as faltas terão de ser apuradas em Sindicância designada pelo Presidente do DETRAN/RJ, garantindo-se ao credenciado a ampla defesa e o contraditório.

Art. 11 - Da aplicação da penalidade cabe recurso ao Presidente do DETRAN/RJ.

CAPÍTULO II – DO DETRAN/RJ

SEÇÃO I – DAS ATRIBUIÇÕES ESPECIAIS DO DETRAN/RJ

Art. 12 - Compete ao DETRAN/RJ deferir Credenciamento em todo o território do Estado, observadas as Normas que acompanham esta Portaria, inclusive dos seus Anexos I, II, III e IV.

Art. 13 - O planejamento, a supervisão, coordenação, a fiscalização e o controle do sistema são da competência da Divisão de Medicina de Tráfego e Psicologia do Trânsito do DETRAN/RJ, cumprindo-lhe, especialmente:

a) promover estudos relativos à implantação e aperfeiçoamento racionais e descentralização de serviços; b) estabelecer princípios, critérios, programas e normas a serem observadas pelas Clínicas credenciadas, coordenando-lhes sistematicamente os trabalhos; c) promover a descentralização administrativa, quando da realização de exames dentro dos próprios quadros da administração; d) receber as propostas de inscrição, bem como os casos de revogação e cassação de Credenciamento; e) estabelecer modelos de formulários que visem a disciplinar as rotinas administrativas em seus próprios setores e nos das Clínicas credenciadas; f)supervisionar e fiscalizar, em caráter permanente, a Clínica credenciada com a finalidade de verificar o desenvolvimento de suas atividades; g) efetuar Vistoria Anual, emitindo Laudo de Inspeção; h) dispensar à Clínica credenciada assistência e orientação constantes que visem ao aperfeiçoamento das práticas administrativas e elevação técnica de seus trabalhos; i)elaborar relatórios periódicos sobre suas atividades, bem como das Clínicas credenciadas para fins estatísticos; j)realizar Sindicância para apurar irregularidades e k) propor suspensão, revogação, cassação e advertência, por ato fundamentado, à Clínica credenciada que não estiver desempenhando suas atividades segundo as exigências técnicas, burocráticas e em consonância com os preceitos éticos de correção e moralidade administrativa que devem imperar em todos os serviços de interesse coletivo.

Art. 14 - Compete ao DETRAN/RJ realizar, com exclusividade, exames médicos e psicológicos:

a) dos candidatos a condutor de veículo automotor portadores de deficiência física, em que haja necessidade de adaptação veicular; b) a critério de sua chefia; c) dos beneficiários da Previdência Social na categoria laboral, cuja Carteira Nacional de Habilitação esteja suspensa e/ou para liberação da suspensão; d) por recurso, quando for considerado inapto e e) nos casos de Reabilitação da Carteira Nacional de Habilitação.

Art. 15 - O DETRAN/RJ fiscalizará a Clínica credenciada, podendo, para isso, praticar todos os atos necessários.

Art. 16 - Para fins de controle, a Clínica credenciada remeterá ao DETRAN/RJ, até o 10º (décimo) dia útil do mês subseqüente, o mapa estatístico e a relação dos candidatos atendidos no mês anterior, com especificação dos resultados, de acordo com o modelo oficial, podendo os mesmos serem por meio eletrônico.

Art. 17 - A Clínica credenciada conservará toda a documentação relacionada com suas atividades pelo prazo de 05 (cinco) anos, devendo admitir, em qualquer época, o acesso de funcionários do DETRAN/RJ, autorizados e competentes para inspecionar, bem como a estes fornecer qualquer esclarecimento.

Parágrafo Único - No caso de extinção da Clínica credenciada ou cessação do Credenciamento, toda documentação será imediatamente recolhida ao DETRAN/RJ.

Art. 18 - Ocorrendo qualquer irregularidade na execução dos serviços permitidos, a autoridade credenciadora determinará Sindicância para apuração de faltas ou deficiências.

Parágrafo Único - A Sindicância sempre precederá a aplicação de penalidades.

CAPÍTULO III – DA CLÍNICA CREDENCIADA

SEÇÃO I – DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 19 - Os profissionais médicos e psicólogos que prestarão os serviços de atendimento ao candidato deverão preencher as exigências legais do Anexo I desta Portaria.

Art. 20 - O Médico Diretor poderá contratar médicos para atuar na Clínica, desde que preencham as exigências legais de credenciamento dos profissionais, conforme o Anexo I desta Portaria.

Art. 21 - O Psicólogo Diretor poderá contratar psicólogos para atuar na Clínica, desde que preencham as exigências legais de credenciamento dos profissionais, conforme Anexo II desta Portaria.

Art. 22 - Os diretores médico e psicólogo da Clínica credenciada, bem como sua equipe técnica de médicos e psicólogos deverão, preferencialmente, residir na cidade onde serão executados os serviços.

Art. 23 - Fica vedada às Clínicas credenciadas a distribuição de panfletos publicitários, próximo às repartições do DETRAN/RJ, assim como receber ou pagar remuneração ou porcentagem por encaminhamento de candidatos.

Art. 24 - Fica vedada às Clínicas credenciadas a cobrança de valores dos serviços prestados fora dos padrões estabelecidos pelo DENATRAN.

SEÇÃO II – DOS DEVERES E OBRIGAÇÕES

Art. 25 - Constituem deveres e obrigações da Clínica credenciada: a) integrar na equipe os profissionais Médicos e Psicólogos com o Título de Medicina de Tráfego e/ou Psicologia do Trânsito ou ter concluído e sido aprovado no Curso de Capacitação específico, constante dos Anexos I e II desta Portaria; b) manter atualizado, junto ao DETRAN/RJ, o credenciamento profissional dos médicos e psicólogos sob sua responsabilidade; c) cumprir fielmente as disposições desta Portaria, da legislação e normas relativas aos procedimentos dos profissionais de Medicina de Tráfego e da Psicologia do Trânsito; d) cumprir fielmente os procedimentos e prazos estabelecidos pelo DETRAN/RJ; e) manter cadastro atualizado na RENFOR; f) estar permanentemente ligado ao Sistema DETRAN/RJ, por meio eletrônico; g) oferecer ao DETRAN/RJ sugestões que visem ao aperfeiçoamento do sistema de Credenciamento e a elevação do padrão técnico da avaliação médica e psicológica; h) manter as instalações, aparelhagem e os equipamentos técnicos em boas condições de uso; i)promover e participar do aprimoramento da equipe técnica, junto ao DETRAN/RJ e às Associações específicas da área – ABRAMET (Associação Brasileira de Acidentes e Medicina de Tráfego), APSITRERJ (Associação de Psicólogos do Trânsito do Estado do Rio de Janeiro) e Universidades; j)desempenhar suas atividades, segundo as exigências técnicas, burocráticas e em consonância com os preceitos éticos de correção profissional e moralidade administrativa; k) participar de Seminários, Congressos e Reuniões promovidas pelo DETRAN/RJ, com o objetivo de otimizar rotinas e procedimentos para melhor atender o público e da divulgação de Pesquisas Científicas na área da Medicina de Tráfego e da Psicologia do Trânsito e l)recolher anualmente a Taxa de Vistoria e submeter-se à Avaliação Periódica promovida pelo DETRAN/RJ.

Art. 26 - São da responsabilidade das Clínicas credenciadas todas as despesas decorrentes do cumprimento do processo de Credenciamento, relacionadas às suas atividades específicas e administrativas para o pleno funcionamento, inclusive confecção dos Laudos em modelo próprio, relação dos candidatos atendidos, mapa estatístico específico, fichas e outros impressos necessários segundo orientação e padronização do DETRAN/RJ.

CAPÍTULO IV – DOS SERVIÇOS

SEÇÃO I – DO SISTEMA DE ATENDIMENTO AO CANDIDATO À OBTENÇÃO DA CNH

Art. 27 - O candidato, no momento de sua Inscrição junto ao DETRAN/RJ, receberá uma Relação contendo os nomes das Clínicas credenciadas de cada Região com os respectivos endereços e telefones. O próprio candidato definirá a Clínica a qual lhe for mais conveniente para a realização dos Exames exigidos. Art. 28 - Em função dos exames médicos e psicológicos, ficam estabelecidos os seguintes critérios:

a) um (01) médico poderá atender, no máximo, a seis (06) candidatos por hora de trabalho e b) cada turma de candidatos poderá ter, no máximo, vinte e cinco (25) candidatos, considerando Aplicação e Correção de Testes e a Emissão de Laudos Psicológicos obrigatórios, por candidato. Um psicólogo poderá atender a 12 (doze) candidatos em 02 (duas) horas de trabalho. Quando a Turma for composta por mais de 12 (doze) candidatos, será imprescindível a participação de 02 (dois) psicólogos por turma.

SEÇÃO II – DOS EXAMES

Art. 29 -A Clínica credenciada se responsabilizará pela identificação do candidato que se apresentar para a realização dos exames.

Art. 30 - A Clínica credenciada terá por obrigação a realização dos exames caracterizados no Anexo III desta Portaria, assim como ao cumprimento de qualquer posterior alteração ou inclusão de novos tipos de exame e da forma de sua execução.

Art. 31 - A Clínica credenciada deverá manter rígido controle, individualizado em arquivo físico, do atendimento dos candidatos, bem como os Laudos descritivos individuais, conforme modelo oficial.

Art. 32 - Os resultados dos Exames Médicos e Psicológicos serão entregues ao próprio candidato, em modelo indicado pelo DETRAN/RJ, no mesmo dia da realização do Exame e registrados eletronicamente no Sistema RENFOR.

§ 1º - Os profissionais deverão seguir criteriosamente o Código de Ética dos seus respectivos Conselhos, quanto à execução e comunicação dos resultados dos exames realizados.

§ 2º - Os candidatos considerados inaptos em algum dos exames médico e/ou psicológico (seja inapto temporário ou definitivo), deverão receber informação adequada sobre a causa da inaptidão para a função de dirigir veículo automotor pelo profissional que o examinou e ainda ser orientado quanto aos procedimentos que deverá adotar.

SEÇÃO III – DOS CUSTOS

Art. 33 - Os valores relativos à execução dos serviços permitidos seguirão a determinação do CONTRAN, no que se refere a valores cobrados e correspondentes a uma consulta médica pela Tabela de Serviços dada pela AMB (Associação Médica Brasileira) e a uma consulta psicológica pela Tabela de serviços dada pelo CFP (Conselho Federal de Psicologia).

Art. 34 - Os valores fixados custeiam toda a atividade necessária ao Exame, incluindo a expedição de Laudo Médico ou Psicológico, sendo vedada a cobrança de outra importância, a qualquer título.

§ 1º - Na hipótese do candidato ser reprovado em um dos exames, terá de custear as despesas correspondentes na forma seguinte:

a) 1/3 (um terço) do valor da consulta, no caso de reexame (médico ou psicológico) e b) o valor integral da consulta, no caso de perícia médica ou psicológica que não seja de exclusividade do DETRAN/RJ.

§ 2º - A inobservância do disposto acima acarretará a cassação da Clínica credenciada.

CAPÍTULO V – DA SELEÇÃO

SEÇÃO I – DA INSCRIÇÃO

Art. 35 - As inscrições para a seleção das Clínicas credenciadas serão abertas através de Aviso publicado no Órgão Oficial do Estado e processar-se-ão em conformidade com as exigências desta Portaria, Anexos I, II, III e IV.

Art. 36 - O candidato ao Credenciamento apresentará requerimento no Protocolo Geral do DETRAN/RJ, anexando os documentos descritos abaixo e endereçado ao Presidente do Órgão, dentro do prazo estipulado no Aviso:

a) indicação do nome escolhido para a Clínica credenciada, a ser constituída, na eventualidade da proposta ser aceita pelo DETRAN/RJ; b) preenchimento da ficha modelo constante do Anexo IV, c) nome do Diretor Médico e do Diretor Psicólogo com endereço para envio de correspondência; d) declaração subscrita pelos representantes legais da proposta de que aceitam e se submetem às exigências desta Portaria, bem como de outras legislações pertinentes à matéria; e) relação nominal dos integrantes do quadro de pessoal técnico acompanhada das respectivas cédulas de identidade e outros documentos; f)certidões negativas do IR (Imposto de Renda), de débito com a Fazenda Pública Estadual e Municipal; g) contrato social registrado na Junta Comercial; h) certificado de aprovação e laudo de exigência do Corpo de Bombeiros; i) prova de habilitação legal para o exercício da profissão – cópias dos diplomas e cédulas de identidade profissional, prova de quitação do respectivo Conselho; j) currículo de cada Diretor e de cada componente do corpo técnico, com os respectivos atestados de exercício nas áreas específicas; k) relação, procedência e manuais com instruções para uso dos aparelhos e equipamentos necessários ao exercício da Clínica credenciada; l) escritura ou contrato de locação do imóvel no qual funcionará a Clínica credenciada; m) planta baixa e “lay-out” completo das instalações e equipamentos; n) comprovante de que o material exigido na alínea “k” será instalado no prazo de 30 (trinta) dias; o) certidão ou segunda via dos documentos constitutivos da Clínica credenciada; p) prova de inscrição da Clínica credenciada no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica – CNPJ; q) licença de funcionamento e sua revalidação para o ano do exercício expedida pelo órgão competente de Vigilância Sanitária; r) Alvará de licença para localização expedido pela Prefeitura; s) Registro da Clínica credenciada no Conselho Regional de Medicina e no Conselho Regional de Psicologia e t) comprovante de ter em seus quadros médicos e psicólogos cursando ou já aprovados em cursos específicos de Medicina de Tráfego e da Psicologia do Trânsito.

§ 1º - Serão desclassificadas as propostas de Clínicas credenciadas que tiveram Sede ou ocuparem o mesmo endereço.

§ 2º - Terá sua outorga revogada a entidade escrita e selecionada que não se instalar efetivamente no endereço apresentado na proposta.

§ 3º - A documentação incompleta ou deficiente elimina da Seleção o seu representante.

Art. 37 - Os responsáveis técnicos, quando por mais um serviço credenciado, deverão assegurar disponibilidade de tempo desejável para o pleno exercício de suas atividades.

SEÇÃO II – DA SELEÇÃO

Art. 38 - O Presidente do DETRAN/RJ designará Comissões especialmente destinadas para proceder à seleção dos inscritos e compostas por um representante indicado pelo Presidente do DETRAN/RJ que à presidirá, dois representantes da Secretaria Estadual de Saúde, um representante do Conselho Regional de Psicologia, um representante do Conselho Regional de Medicina. Art. 39 - É facultada à Comissão de Seleção ou Autoridade Superior, em qualquer fase desta Seleção, a promoção de diligência destinada a esclarecer ou complementar a instrução do processo, no interesse da Administração.

Art. 40 - Na data da Vistoria às instalações da Clínica credenciada, serão exigidos e verificados todos os documentos originais constantes do artigo 36 e os equipamentos e materiais do Anexo III.

Art. 41 - No Laudo de Vistoria, a Comissão emitirá o parecer final que subsidiará o Presidente do DETRAN/RJ a determinar a expedição de Certificado de Credenciamento.

Art. 42 - Os trabalhos da Comissão serão encaminhados ao Presidente do DETRAN/RJ, para despacho decisório.

Art. 43 - Todos os atos e termos processuais serão certificados nos autos.

CAPÍTULO VI – DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 44 - As Clínicas credenciadas deverão manter-se atualizadas com a legislação em vigor sobre os serviços pertinentes. Art. 45 - Fica aberta a inscrição para credenciamento de Clínicas de Medicina de Tráfego e Psicologia do Trânsito, na forma preconizada no Parágrafo Único do artigo 4º destas Normas. Art. 46 - Para cumprimento do previsto no artigo anterior, a Clínica candidata ao credenciamento deverá cumprir, inicialmente, as letras a, b, c, d, e, f, i e j do artigo 36 destas Normas. Parágrafo Único - Aceita a inscrição e antes da vistoria, deverão ser cumpridas todas as demais disposições daquele artigo.

ANEXO I À PORTARIA PRES.DETRAN/RJ N.° 1.756/99.

I – EXIGÊNCIAS DE CREDENCIAMENTO DE MÉDICOS DE TRÁFEGO JUNTO AO DETRAN/RJ

1 – MÉDICO TRÁFEGO

- Ter 02 (dois) anos de formado, no mínimo; -            Registro do Conselho Regional de Medicina/RJ atualizado; - Título de especialista em Medicina de Tráfego, de acordo com as normas da ABRAMET e Conselho Federal de Medicina ou ter concluído e sido aprovado no “Curso de Capacitação para Médico-Perito Examinador  responsável pelo exame de aptidão física-mental para condutores de veículos automotores”. O curso deverá ser reconhecido pelo MEC e pela ABRAMET; - Cumprir a atividade prática de 40 (quarenta) horas, obrigatória, com treinamento em serviço e sob Supervisão do Serviço de Medicina de Tráfego do DETRAN/RJ.

     ANEXO II À PORTARIA PRES.DETRAN/RJ N.° 1.756/99

I – EXIGÊNCIAS DE CREDENCIAMENTO DE PSICÓLOGOS DO TRÂNSITO JUNTO AO DETRAN/RJ 1 – PSICÓLOGO DE TRÂNSITO - Ter 01 (um) ano de formado, no mínimo; - Ter experiência de 01 (um) ano na área de avaliação psicológica; - Registro do Conselho Regional de Psicologia/RJ atualizado; - Ter concluído e sido aprovado no “Curso de Capacitação para Psicólogo responsável pela avaliação psicológica e como Psicólogo Perito Examinador do Trânsito para condutores de veículos automotores”. O curso deverá ser reconhecido pelo MEC; - Cumprir a atividade prática de 40 (quarenta) horas, obrigatória, com treinamento em serviço e sob Supervisão do Serviço de Psicologia do Trânsito do DETRAN/RJ.

        ANEXO III À PORTARIA PRES.DETRAN/RJ N.° 1.756/99 I – EXIGÊNCIAS LEGAIS PARA O CREDENCIAMENTO ESPECÍFICO DE CLÍNICA DE MEDICINA DE TRÁFEGO E PSICOLOGIA DO TRÂNSITO PARA FINS DE AVALIAÇÃO DE CONDUTORES DE VEÍCULOS AUTOMOTORES

1. Os locais de realização do Exame de Sanidade Física e Mental e da Avaliação Psicológica deverão ser de atividade exclusiva para esse tipo de procedimento, conforme exigido pelo CONTRAN.

2. As clínicas deverão estar equipadas com recursos de informática compatíveis com as necessidades do sistema DETRAN/RJ e DENATRAN. 3. Requisitos mínimos quanto a área física e equipamentos, atendendo à normatização técnica de âmbito federal, estadual e, se for o caso, municipal:

a) ambiente comum das instalações na clínica para o Exame Médico e Psicológico: - Sala de recepção e espera com capacidade mínima para 10 (dez) pessoas. Mesa e cadeira da recepcionista; - Sala para almoxarifado, arquivo e informática. b) consultório do Médico de Tráfego: - Cumprir as normas de postura municipal; - Dimensão de 9m2 (nove metros quadrado) no mínimo; - Ter Instalações de lavatório para as mãos; - Iluminação e ventilação satisfatórias; - Divã para exame clínico; - Cadeira para o candidato; - Mesa e cadeira para o médico; - Estetoscópio; - Esfignomanômetro; - Martelo de Babinsk - Dinamômetro para força manual; - Equipamento para aferir: acuidade e campo visual, visão estereoscópica e cromática; - Equipamento para aferir: ofuscamento, visão noturna; - Sinal luminoso (verde, amarelo, vermelho); - Negastoscópio; - Fita Métrica; - Termômetro; - Otoscópio; - Lanterna; - Abaixador de língua - Diafazão. c) consultório do Psicólogo do Trânsito: - Cumprir as normas de postura municipal; - Iluminação e ventilação satisfatórias; - Sala para testes coletivos – dimensão 20m2 (vinte metros quadrados) no mínimo para a capacidade mínima de 12 (doze) carteiras frontais; - Mesa e cadeira para o psicólogo; - Carteiras frontais para os candidatos - Lousa de parede ou similar. d) sala para teste individual e entrevista: - Dimensão 5m2 (cinco metros quadrado) no mínimo; - Mesa e cadeira para o psicólogo; - Cadeira para o candidato.

II – EXIGÊNCIAS DAS AVALIAÇÕES MÉDICA E PSICOLÓGICA A SEREM REALIZADAS

1. DA AVALIAÇÃO MÉDICA a) Exame Clínico Geral - Questionário de sanidade físico menstal; - Anamnese; - Avaliação oftalmológica; - Avaliação otorrinolaringológica; - Avaliação neurológica; - Avaliação cardio-respiratória; - Avaliação do aparelho locomotor; - Exames complementares ou especializados a critério do médico.

2. DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA O exame de avaliação psicológica para os condutores e candidatos à obtenção, mudança de categoria, da Carteira Nacional de Habilitação aferirá as seguintes áreas de concentração de características psicológicas:

- Área Percepto-Reacional, Motora e Nível Mental; - Área do Equilíbrio Psíquico; - Habilidades Específicas.

O exame de Avaliação Psicológica, quando da complementação, será realizado, investigando-se em maior profundidade os problemas apresentados.

Serão utilizados os seguintes instrumentos: - Entrevista; - Bateria de Testes a ser definido pelo DETRAN/RJ, conforme normas estabelecidas pelo CONTRAN.           ANEXO IV À PORTARIA PRES.DETRAN/RJ N.° 1.756/99

FICHA MODELO

1 – RAZÃO SOCIAL:

Nome:____________________________________ CMP: _______________ CGC _________________________________________________________ End.: ____________________________________ Bairro: _______________ Município: ____________________________________ CEP: ___________ Tel.: ___________________ Nome Fantasia: _________________________ Sede própria ou alugada: _________________________________________

2 – DA ADMINISTRAÇÃO:

Nome do Diretor Médico: _________________________________________ CRM: ___________________________ CPF: ________________________ Faculdade de Formação: _________________________________________ Ano de Formatura: ________/________/__________

Certificado de Título de especialista ou do Curso de Capacitação: ______________________________________________________________ Faculdade: ____________________________________________Ano: Experiência profissional em Medicina de Tráfego: ______________________ Supervisor Técnico:  _____________________________________________ ______________________________________________________________ Nome do Diretor Psicólogo: _______________________________________ CRP: ________________________ CPF: ___________________________ Faculdade de Formação: _________________________________________ Ano de Formatura: ________/________/__________

Certificado de Título de especialista ou do Curso de Capacitação: ______________________________________________________________ Faculdade: ____________________________________________Ano: Experiência profissional em Psicologia do Trânsito: ____________________ Supervisor Técnico: _____________________________________________ ______________________________________________________________

RELAÇÃO DOS MÉDICOS DE TRÁFEGO VINCULADOS À CLÍNICA CREDENCIADA:

1. Nome do Médico: _____________________________________________ CRM: _____________________________ CPF: ______________________ Faculdade de Formação: _________________________________________ Ano de Formatura: ________/________/__________

Certificado de Título de especialista ou do Curso de Capacitação:

______________________________________________________________ Faculdade: ____________________________________________Ano: Experiência profissional em Medicina do Tráfego: ______________________ Supervisor Técnico: _____________________________________________ ______________________________________________________________

2. Nome do Médico: _____________________________________________ CRM: __________________________ CPF: _________________________ Faculdade de Formação: _________________________________________ Ano de Formatura: ________/________/__________

Certificado de Título de especialista ou do Curso de Capacitação:

______________________________________________________________ Faculdade: ____________________________________________Ano: Experiência profissional em Medicina do Tráfego: ______________________ Supervisor Técnico: _____________________________________________ ______________________________________________________________

RELAÇÃO DOS PSICÓLOGOS DO TRÂNSITO VINCULADOS À CLÍNICA CREDENCIADA:

1. Nome do Psicólogo: ___________________________________________ CRP: __________________________ CPF: __________________________ Faculdade de Formação: _________________________________________ Ano de Formatura: ________/________/__________

Certificado de Título de especialista ou do Curso de Capacitação:

______________________________________________________________ Faculdade: ____________________________________________Ano: Experiência profissional em Psicologia do Tráfego: _____________________ Supervisor Técnico: _____________________________________________ ______________________________________________________________

2. Nome do Psicólogo: ___________________________________________ CRP: ___________________________ CPF: _________________________ Faculdade de Formação: _________________________________________ Ano de Formatura: ________/________/__________

Certificado de Título de especialista ou do Curso de Capacitação:

______________________________________________________________ Faculdade: ______________________________________ Ano: __________ Experiência profissional em Psicologia do Trânsito: ____________________ Supervisor Técnico: _____________________________________________ ______________________________________________________________

3 – DAS INSTALAÇÕES DA CLÍNICA:

DESCRIÇÃO:

OBS.:ANEXAR AO PRESENTE CÓPIAS AUTENTICADAS DOS DOCUMENTOS EXIGIDOS NO ARTIGO 36:

Declaro, sob as penas da lei, que são verdadeiras as informações supra.

Rio de Janeiro, _____________________________________________ _______________________________________ Assinatura do Diretor Médico ______________________________________ Assinatura do Diretor Psicólogo

*Republicada por incorreção no D.O. de 28.07.99.
Publicada no D.O. em dd.mm.aaaa.

Rio de Janeiro, 07 de julho de 1999


EDUARDO CHUAHY
Presidente do Detran-RJ
 
 
 

 

 

DETRAN.RJ

Teleatendimento apenas para casos urgentes, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.

Telefones: (21) 3460-4040 / (21) 3460-4041 / (21) 3460-4042

Avenida Presidente Vargas, 817 - Centro, Rio de Janeiro - RJ | 20.071 - 004