Governo do Rio de Janeiro
 

Detran-RJ

Secretaria da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico

 
 
 
 

Notícias

14/05/2018 13:47:00

OPERAÇÃO MAIO AMARELO EM NITERÓI ABORDA MOTORISTAS, CICLISTAS E PEDESTRES

Próxima ação acontece amanhã (15.05) no município de Rio das Ostras. Outras três operações vão acontecer em Nova Iguaçu, Barra da Tijuca e Nova Friburgo esta semana
 
 Manoella Mello


Técnicos do Detran-RJ e agentes da Lei Seca estiveram nesta segunda-feira (14.05) na Praia de Icaraí, em Niterói, para alertar motoristas sobre o alto índice de mortes e feridos nas estradas, a necessidade de aumentar a segurança no trânsito e o risco de misturar álcool com direção. A ação é mais uma blitz educativa promovida para marcar as atividades do Maio Amarelo, período em que ações de alerta sobre mortes no trânsito são realizadas no mundo todo.
 
Durante a blitz em Niterói, 200 motoristas, ciclistas e pedestres foram abordados e conscientizados pelas equipes, que distribuíram material educativo e fitas amarelas. Até o final dessa semana, outras blitz educativas vão ocorrer em Rio das Ostras, na rua Bangu, altura do número 116; na Barra da Tijuca, na Avenida das Américas; em Nova Iguaçu, na Via Light; e em Nova Friburgo, na avenida Euterpe Friburguense.
 
Motoristas e ciclistas apoiam conscientização
 
Na ação, também foram abordados ciclistas e pedestres, afinal, o trânsito não é formado apenas pelos motoristas. Durante a abordagem, as pessoas manifestaram apoio à campanha. Uma delas, Eduardo Pereira, ganhou de presente de aniversário ser parado na blitz de conscientização do Maio Amarelo. “Todos precisam se conscientizar. Tenho duas filhas e uma neta e sempre passo isso para elas. Nossa família sempre está alerta. Quando um bebe, é o outro quem dirige”, disse morador de Niterói, que completa 57 hoje.
 
O motorista profissional Ubirajara da Silva, que é taxista há 20 anos, alertou para a importância de um trânsito seguro. “Vejo muita falta de cuidado das pessoas no trânsito. Quanto mais informação, menos acidente”, afirmou, com a experiência de quem passa horas dirigindo.
 
Novas ações
 
Até o final do mês, os técnicos do Detran – em parceria com a Operação Lei Seca – farão blitzes educativas também nas cidades de Rio das Ostras, Nova Iguaçu, Nova Friburgo, Duque de Caxias, Maricá, São Gonçalo, Macaé, Miguel Pereira e Queimados, além dos bairros Tijuca e Barra da Tijuca, na Capital.
 
Maio Amarelo – Nós somos o trânsito
 
O movimento Maio Amarelo tem o objetivo de chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo, e é realizado há cinco anos em 27 países dos cinco continentes. Diversas ações coordenadas entre o poder público e sociedade civil acontecem em todo o país e colocam em pauta o tema da segurança no trânsito.
 
Este ano o tema da campanha é “Nós somos o trânsito”. A meta é mostrar que o trânsito é muito mais do que veículos, barulho e congestionamento. O trânsito é feito de pessoas. E são essas pessoas que cometem imprudências e que também são as vítimas dos acidentes.
 
São Gonçalo lidera ranking de acidentes na Região Metropolitana, e Campos, no interior
 
O município de São Gonçalo foi onde ocorreram mais acidentes na Região Metropolitana. Foram 1.221 acidentes em 2017, uma média de 102 acidentes por mês. Em seguida aparecem: Niterói (1.035), Nova Iguaçu (980), Duque de Caxias (888) e São João de Meriti (528)
 
 O levantamento de número de acidentes nas cidades do interior do Estado mostra as 10 cidades com mais colisões. A campeã foi a cidade de Campos dos Goytacazes, com 478 acidentes, uma média de 40 por mês. Em seguida aparecem: Petrópolis (307), Macaé (223), Teresópolis (221), Araruama (219), Nova Friburgo (214), Rio das Ostras (201), Cabo Frio (195), Saquarema (157) e Volta Redonda (148).
 
Número de acidentes cai, mas de mortes aumenta
 
Nos últimos anos, o número de acidente está em queda no estado do Rio de Janeiro. Em 2016, foram 26.404 acidentes com vítimas. Em 2017, houve uma queda de 22,2%, com 20.535 acidentes, uma média de 1.711 acidentes por mês. O número total de vítimas também caiu de 38.266 para 31.006, 19%. Também houve queda (20,5%) na quantidade de pessoas feridas: 36.364 para 28.885. 
 
No entanto, o número de mortes no local dos acidentes aumentou 11,5%. Este crescimento comprova que os acidentes estão mais violentos e a imprudência dos motoristas maior. Em 2016, 1.902 pessoas perderam a vida em acidentes de trânsito, enquanto em 2017 foram 2.121 mortes, uma média de 177 por mês.